Cará – Geophagus brasiliensis

Cará – Geophagus brasiliensis

Classificação científica

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Actinopterygii

Ordem: Perciformes

Família: Cichlidae

Subfamília: Geophaginae

Género: Geophagus

Nome científico:

Características gerais

pH: 6,8 e 7,2

Distribuição: América do Sul

Temperatura: 22 a 28°C

Alimentação: omnívora

Tamanho: pode atingir até 25 cm

Nomes comuns: Acará, Acará-y, Cará, Porquinho, Papa-terra, Acará-diadema, Acará-ferreira, tupã e em algumas regiões do sul do Brasil é chamada de Videira.

Acará no tupi-guarani significa peixe áspero, escamoso, ela é um peixe territorialista da família dos ciclídeos que pode atingir até 25 cm de comprimento.

Seu corpo é alto e comprido com cabeça relativamente pequena, suas nadadeiras também são pequenas e possuem uma linha lateral e mancha preta vertical sobre o olho, três espinhos na nadadeira anal e dorsal, sua boca possui lábios grossos com pequenos e numerosos dentes.

Alimentação

Sua alimentação é omnívora, se alimenta de pequenos animais, plantas e invertebrados. Elas ficam revolvendo o substrato para capturar os pequenos invertebrados.

HABITAT

Ela é resistente e se adapta muito bem a climas quentes e frios, e também já foram avistadas em aguas salinizadas, por causa dessa sua adaptabilidade ela é encontrada em toda a América do Sul e em quase todos os rios e lagos do Brasil.

Pode ser encontradas em rios, lagoas e reservatórios mas sempre preferindo viver em ambientes de água parada e vegetação abundante.

Acará em um aquário
Geophagus brasiliensis

Reprodução e dimorfismo Sexual

À acará se reproduz muito rapidamente, o casal faz seu ninho limpando uma área do fundo ou desova em uma gruta e a defendendo-a contra invasores, à fêmea e o macho também protegem as larvas recolhendo-as na boca.

A maturidade sexual é atingida em um ano nos machos e um ano e meio nas fêmeas. Apresentam dimorfismo sexual, os machos são maiores que as fêmeas e também desenvolvem uma protuberância carnosa na cabeça durante a época de reprodução.

Utilidades para o Homem

É muito utilizado como peixe ornamental e é bem visto na pesca esportiva, e piscicultura.

Na piscicultura o que mais se destaca é à sua semelhança com a tilápia do nilo porém ao contrário desta à acará é resistente ao frio e isso têm chamado à atenção de piscicultores, pois existe a possibilidade de cultiva-la em regiões onde a tilápia não se desenvolve bem devido ao frio. É relativamente bastante encontrada em mercados de peixe de algumas regiões como o Rio Grande do Sul.

Outras espécies do gênero Geophagus:

  1. Geophagus crocatus 
  2. Geophagus diamantinensis
  3. Geophagus dicrozoster
  4. Geophagus gottwaldi
  5. Geophagus grammepareius
  6. Geophagus harreri
  7. Geophagus obscurus
  8. Geophagus parnaibae
  9. Geophagus pellegrini
  10. Geophagus proximus
  11. Geophagus abalios 
  12. Geophagus altifrons 
  13. Geophagus argyrostictus
  14. Geophagus brachybranchus 
  15. Geophagus brasiliensis
  16. Brokopondo de Geophagus 
  17. Geophagus camopiensis
  18. Geophagus crassilabris
  19. Geophagus mirabilis Deprá,
  20. Geophagus neambi
  21. Geophagus steindachneri
  22. Geophagus surinamensis
  23. Geophagus sveni
  24. Geophagus taeniopareius
  25. Geophagus winemilleri
  26. Geophagus iporangensis
  27. Geophagus itapicuruensis
  28. Geophagus megasema

jorgeaguiarmaeterlink

2 comentários sobre “Cará – Geophagus brasiliensis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *